Domingo, 9 de Novembro de 2008

        De acordo com cientistas do Instituto Riken, no Japão, tecidos cerebrais funcionais foram criados a partir de células-tronco.Segundo o estudo, divulgado nesta quinta-feira, as células retiradas de embriões foram utilizadas para formar tecidos do córtex cerebral, principal área de controle do cérebro. Assim, os tecidos se auto-organizaram e foram capazes de conduzir atividades nervosas, como a transmissão de estímulos e impulsos elétricos.

         Além disso, os cientistas afirmam que os tecidos podem ser induzidos seletivamente para desempenhar outras atividades do córtex, como o controle da memória, as sensações visuais, entre outras. As pesquisas anteriores do instituto mostravam que as células-tronco se diferenciavam dentro de outras células, mas até agora não se organizavam como tecidos funcionais. "Nas terapias de regeneração, apenas um limitado número de doenças podem ser curadas com um simples transplante de células. Transplantar tecidos pode aumentar a esperança", concluiu o institudo japonês em comunicado.

        Os tecidos podem servir como um "mini-órgão" para estudar a causa de doenças como Alzheimer e desenvolver vacinas contra elas. O uso de células-tronco embrionárias em pesquisas científicas, porém, tem causado polêmica. Muitos não aceitam a prática e a discussão é constante. No entanto, os cientistas do instituto Riken dizem que os tecidos do córtex podem também ser obtidos por meio de uma indução artificial para que células adultas, como as da pele, possam se comportar como células-tronco, para dar continuidade à pesquisa.

 

Fonte: veja.abril.com.br

 

 



publicado por rjfragoso às 22:29 | link do post | comentar | favorito

Seropositivo deixou de o ser depois de transplante de medula.

Norte-americano continua a recuperar de uma leucemia, mas parece ter vencido a sida

Um norte-americano de 42 anos que vive em Berlim está a intrigar a comunidade científica. Há dois anos foi submetido a um transplante de medula. Era seropositivo, mas o objectivo seria curar uma leucemia. Seiscentos dias depois, ainda continua a lutar contra esta doença, mas venceu a batalha que parecia perdida: a sida.

De acordo com o The Wall Street Journal, que conta história deste paciente cujo nome não é divulgado, depois da operação, os médicos não detectaram sinais da infecção no seu sangue, apesar de terem cessado de lhe administrar fármacos anti-retrovirais na altura da intervenção cirúrgica e nunca mais terem tido necessidade de o fazer.

O jornal norte-americano explica que quando foi decidido que o paciente teria de ser transplantado, o seu médico, o doutor Gero Hütter, da Charité Medical University de Berlín, lembrou-se de fazer uma experiência. Entre os possíveis dadores escolheu um que apresentava uma rara mutação genética, que o torna imune a quase todas as estirpes de HIV, e que só está presente em 1,5 por cento da população.

Na altura do transplante os médicos suspenderam a administração dos medicamentos que o paciente tomava por ser seropositivo, para que o transplante não fosse rejeitado. Mas a surpresa surgiu nas análises sanguíneas do norte-americano, onde não foram encontrados vestígios da infecção.

Seiscentos dias depois, o corpo do paciente continua sem dar sinais de HIV, apesar de ainda estar a recuperar da leucemia.

Este caso insólito, chamou a atenção da comunidade científica. Embora, muitos especialistas sejam cautelosos em avisar que o que se passou com este norte-americano em Berlim não é uma opção para os cerca de 33 milhões de seropositivos que existem no planeta.

Em primeiro lugar, esta é uma intervenção com muitos riscos, entre eles a possibilidade do aumento de infecções e a mortalidade. Há também a barreira dos custos, com cada operação a ascender a 250 mil dólares (195 mil euros). Finalmente, o número de dadores com o tipo de mutação deste caso é diminuto.

Apesar de tudo, os cientistas pensam que este caso possa oferecer algumas pistas na investigação de terapias genéticas na luta contra a sida. E quem sabe, se um dia, uma cura, que para este norte-americano parece ter já chegado.

 

Fonte: iol.pt

 



publicado por rjfragoso às 20:42 | link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

Recursos Hidrológicos

NOTÌCIA: AÇORES - Falta d...

GEOLOGIA: Recursos geológ...

GEOLOGIA: Metamorfismo

GEOLOGIA: Deformação das ...

Teria Darwin Errado?

Anatomia Comparada

Mecanismos de evolução II...

Mecanismos de evolução II...

Mecanismos de evolução: F...

arquivos

Maio 2009

Abril 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

blogs SAPO
subscrever feeds